O Mabília


FORMAÇÃO COMO JOGADOR

Com passagem pelo futsal da zona sul de Porto Alegre, onde aprendeu os primeiros fundamentos, aos 11 anos Mabília foi aprovado em testes nas categorias de base do Grêmio.

Conquistou o tricampeonato estadual juvenil, o bicampeonato júnior e alcançou o vice-campeonato da Copa São Paulo de 1991, perdendo para a Portuguesa do craque Dener.

Na base, marcou em todos os Gre-Nais, sendo que em um deles fez três gols e foi aclamado pela torcida tricolor.


CARREIRA PROFISSIONAL

Mabília subiu para o time principal do Grêmio em 1991, tendo participado de dois vices da Copa do Brasil e da campanha do retorno para a Série A. Deixou o time gaúcho rumo ao Corinthians em 93, juntando-se a nomes como Rivaldo, Neto, Viola e o goleiro Ronaldo. Entre outros clubes passou pelo Mogi Mirim, foi o melhor jogador do Campeonato Catarinense pelo Tubarão e obteve destaque pelo Criciúma, chamando atenção de Luís Felipe Scolari, o Felipão, recém campeão brasileiro de 96 pelo Grêmio e que treinava o Jubilo Iwata, do Japão. Voltou para o Brasil para atuar no Inter em 1997.

Depois, no Juventude, foi o maestro da equipe campeã gaúcha de 98 e da Copa do Brasil de 99, contra o Botafogo num Maracanã com mais de 100 mil pessoas. No total, jogou sete campeonatos brasileiros da Série A por clubes diferentes, encerrando a carreira de jogador em 2004, na Ulbra-RS.


FORMADOR

Como técnico, o primeiro trabalho de Mabília foi no Mogi Mirim. Logo na estreia, veio o título de Campeão Paulista sub-20, revelando jogadores de destaque como Robinho, meia que passou por Cruzeiro, Palmeiras e Grêmio. Integrou comissões técnicas como auxiliar, até retornar em 2012 ao seu clube de formação, o Grêmio, como treinador do sub-20. No tricolor gaúcho, levantou troféus como a Taça BH em 2012 e lançou os volantes Ramiro e Walace, o meia Luan e o atacante Everton Cebolinha, entre outros jogadores. Mabília estreou como técnico de time profissional em 2014, com o Novo Hamburgo campeão da Copa RS.

Treinou em oito clubes de Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Santa Catarina, até deixar as quatro linhas para trabalhar especificamente em gerenciamento, formação e orientação de atletas. É intermediário licenciado pela CBF.

A Carreira

  • De 1991 a 1997

    Formado nas categorias de base do Grêmio, após o vice-campeonato da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 1991, o meia que se destacou pelo excelente chute e pela boa visão de jogo, um legítimo armador, subiu ao profissional. Ficou no Tricolor até o final de 1993. Naquele ano, foi campeão pela primeira vez, venceu o título do Gauchão com o Grêmio. No ano seguinte, vestiu a camisa do Corinthians. Em 1997, veio a primeira oportunidade fora do país. No Japão, vestindo as cores do Jubilo Iwata, conquistou o título do Campeonato Japonês daquele ano.

  • De 1997 a 2000

    De volta ao Brasil e ao seu Estado, defendeu o Inter por dois anos, em 1997 e 1998. Foi no Juventude que entrou para a história do clube. O primeiro título foi o Gauchão de 1998, e depois com a conquista da Copa do Brasil de 1999, sobre o Botafogo. Depois de sair do Alfredo Jaconi em 2000, passou por Guarani, Coritiba, Figueirense e Náutico até encerrar a carreira no gaúcho Ulbra, de Canoas, em 2004.

  • De 2006 a 2014

    Dois anos depois de pendurar as chuteiras, voltou aos gramados, mas, desta vez, como técnico. O início da trajetória foi em São Paulo, nos times sub-20 de Mogi Mirim e São Caetano. Em 2011, voltou ao Rio Grande do Sul para comandar a equipe sub-20 do Novo Hamburgo. No ano seguinte, assumiu o sub-20 do Grêmio. No Tricolor, teve grande destaque com boas campanhas. Pelas suas mãos, passaram algumas promessas que se transformaram em grandes jogadores, como Robinho, no Mogi Mirim, hoje no Cruzeiro, o goleiro Jandrei, no Tubarão, atualmente no Gênoa, da Itália, e principalmente gremistas, como Everton Cebolinha, Luan, Ramiro e Walace. Em 2014, veio a primeira oportunidade como técnico profissional, no Novo Hamburgo. Nesse mesmo ano, já conquistou o seu primeiro título como técnico profissional, a Copa RS.

  • 2018

    Até 2018, passou por sete times do Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Santa Catarina. Este último, estado que se destacou tanto como jogador quanto técnico. Lá, com o Metropolitano, conquistou a Série B do Campeonato Catarinense e devolveu o time à elite Estadual.

CLUBES COMO JOGADOR

 
time-1

Grêmio

1991-1993
time-2

Corinthians

1994
time-8

Mogi Mirim

1994
time-3

Fluminense

1994
time-4

Ypiranga RS

1995
 
time-5

Tubarão - SC

1996
time-6

Criciúma

1996
time-7

Jubilo Iwata - Japão

1997
time-10

Inter

1997-1998
time-9

Juventude

1998-2000 e 2001
 
time-11

Guarani

2000
time-12

Coritiba

2001
time-13

Figueirense

2002
time-14

Náutico

2003
time-15

Ulbra

2004

CLUBES COMO JOGADOR

 

TÍTULO COMO JOGADOR

cup (1)

Campeonato Gaúcho

de 1993 com o Grêmio
cup (1)

Campeonato Japonês

com o Jubilo Iwata em 1997
cup (1)

Campeonato Gaúcho

de 1998 com o Juventude
cup (1)

Copa do Brasil

de 1999 com o Juventude

TRABALHO COMO TÉCNICO

cup (1)

Campeão paulista sub-20

com o Mogi Mirim em 2006
cup (1)

Campeão da Copa BH e Copa RS

com o Grêmio em 2012
cup (1)

Campeão da Copa RS

com o Novo Hamburgo em 2014
cup (1)

Campeão do Campeonato Catarinense

Série B 2018 com o Metropolitano